sexta-feira, 27 de maio de 2011

Músicas de Clarice

http://www.reverbnation.com/#!/artist/artist_songs/874184
Neste link dá pra conferir um pouco do meu trabalho e algumas das canções que ~fazem parte da trilha de Clarice.

sábado, 21 de maio de 2011

Sobre eu e Clarice

Clarice, clowns, Clarto, Esclarecida e Clarão
Deparei-me com isso
Como assistente de produção.
E isso era mais:
Entrega, grupo, corpo e coração
Empenhar-me protocolarmente
Ou afetar-me com devoção?
De qualquer forma,
Clarice vai além da construção de um espetáculo.
Mais um desdobramento de um trabalho de anos.
E, enquanto tal, e dentro disso,
Clarice aparece
Como a valorização da vida
Que irremediavelmente
A morte tece.
Ao se deparar com as despedidas,
Valorizar os próximos.
Desafiados pelo tempo,
Imergir no agora.
Reflexões sobre a construção de uma peça,
Do fazer teatro para crianças,
Do fazer teatro, o teatro de grupo.
E conjeturas de como seria se fosse diferente,
se fosse possível, aceitável ou mais verdadeiro...
diferente.
Bruno  Nicolleti -  Assistente de Produção

sábado, 14 de maio de 2011

RELEASE - CLARICE MATOU OS PEIXES

Inspirado na obra de uma escritora Brasileira, um espetáculo teatral para crianças de todas as idades.
A sensibilidade e a profundidade da escritora é inspiração para a peça Clarice Matou os Peixes, da Cia do Abração, que terá estréia no próximo dia 3 de junho, às 20 horas, para convidados e depois, segue temporada aos finais de semana, na sala Raul Cruz, na sede da Cia. do Abração.
A peça, inspirada na obra A Mulher que Matou os Peixes, narra a história de uma mulher que, acidentalmente, matou dois peixinhos vermelhos porque se esqueceu de alimentá-los enquanto escrevia histórias. A peça Clarice Matou os Peixes levanta a questão da relação com os bichos de estimação e o grande tabu entre os espetáculos direcionados a crianças: como lidar com o sentimento da perda.
No palco, três personagens Clarão, Clarito e Esclarecida relacionam entre si quem é o culpado pela morte dos peixinhos e a ligação de cada personagem com os seus animais de estimação. O desafio duplo de levar à cena a dramaticidade e sensibilidade de escritora, aliado ao universo infantil, proporciona ao público um espetáculo poético e único.
As apresentações acontecem de 4 de junho a 10 de julho, sábados às 18h e domingo às 16 (exceto nos dias 2 e 3 de julho que não ocorrerão apresentações) na sala Raul Cruz, sede da Cia. do Abração (Rua Paulo Ildefonso Assumpção, 725. Bacacheri).
O espetáculo Clarice Matou os Peixes tem o patrocínio da CAIXA Cultural e do Positivo, através da Lei Municipal de Incentivo à Cultura.
Serviço:
Temporada: de 4 de junho a 10 de julho de 2011
Horário: sábados, às 18h e domingos às 16h, EXCETO DIAS 2 E 3 DE JULHO
Local: Sala Raul Cruz, sede da Cia. do Abração. Rua Paulo Ildefonso Assumpção, 725. Bacacheri
Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: Livre, especialmente recomendada para crianças.
Informações:
Cia. do Abração
Rua Paulo Ildefonso Assumpção, 725 Jardim Social – Curitiba – Paraná
Telefone: (41) 3362 9595 /3362 9438

FOTOS DO PROCESSO DE CRIAÇÃO por Isabelle Neri




quarta-feira, 4 de maio de 2011

REFLEXÕES

Por que existimos?
Pra contar histórias.
Mas as histórias sempre existiram?
Mas se o homem não contar histórias ele deixa de existir?
Sem as histórias nossa vida não teria muito sentido.
Então o homem conta histórias pra viver?
Pra tornar a vida imprescindível.

Por que morremos?
Pra dar espaço pro outro viver.
Então morrer é viver?
E se a gente não morresse?
Por que não podemos viver pra sempre?
A vida seria sem graça e nos cansaríamos dela.
Mas não posso me cansar da vida antes de morrer?



O que eu tenho haver com isso?
Não fui eu que sujei o mar, joguei o lixo.
Aquela tartaruga morreu mas não fui eu.
Será?

Somos muitos, somos mais,
Os inteligentes, os maiorais.
Usamos a terra e os animais
Pra satisfazer nossos desejos mais banais.

Comprando, comprando, comprando,
Esquecemos de cuidar,
Do outro, seja gente ou animal,
No fundo é tudo igual.

Afeto, afeta meu gesto,
Sai por aí, viaja, chega lá...
Ação e reação,
Claríssimo, uma criança observa.

Afeto, afeta minha morada,
Esclarece o essencial
Preenche esse vazio frio.
Uma criança espera, espera, espera...

terça-feira, 3 de maio de 2011

Poema

Durante o processo de criação do espetáculo cada participante ficou encarregado de escrever um poema com o seguinte tema: O que é "Clarice matou os peixes". Aí vai a minha contribuição:

Clarice matou os peixes, mas é uma pessoa boa
E quer fazer coisas boas na vida
Como dançar, cantar, escrever
Ou simplesmente viver

Clarice matou os peixes, mas ama a Vida
Essa vida cheia de surpresas
Legais, como a brincadeira e o abraço
E ilegais, como a mentira e o cansaço

Clarice matou os peixes, mas foi sem querer
Nem tudo segue a nossa vontade
Às vezes devemos fazer o que é chato
E ter a tal da responsabilidade

Clarice matou os peixes, mas tem um coração doce
Doce como o olhar de uma criança
Que mesmo triste com a morte
Nunca perde a esperança

Clarice matou os peixes
Sim, matou os peixes E você?...